Follow by Email

segunda-feira, 25 de abril de 2011

COMUNICADO

PEDE-SE A TODOS OS SOCIOS DA AMADORA QUE ENTREM EM CONTACTO COM  O CHEFE DE NUCLEO ATRAVÉZ DO EMAIL OU DO MOVEL

João Pereira: «Realizámos uma época dececionante»

Nem devia estar a dizer isto, mas mal do Sporting quando se luta pela conquista do terceiro lugar no Campeonato.” As palavras pertencem a João Pereira, foram proferidas ontem à margem do torneio Domingos Sávio do qual foi patrono e são esclarecedores no final de uma temporada em que as expectativas ficaram muito aquém daquilo que todos os adeptos leoninos esperavam.
Realista, o lateral-direito, de 27 anos, acedeu a fazer um pequeno balanço, não hesitando em constatar a medíocre campanha dos leões. “Realizámos uma época dececionante e, nesta altura, lutamos pela posição possível, isto é, o terceiro lugar. Estamos empenhados em conseguir essa meta e só dependemos de nós próprios para a alcançarmos”, sublinha.

Scolari: «Guardião da Seleção na próxima década»




Yannick e André Santos no plano das renovações

André Santos (foto ASF)

As renovações de contrato de Rui Patrício e Daniel Carriço serão os casos mais prementes para a administração do Sporting, mas nos planos dos dirigentes leoninos estão também Yannick e André Santos, dois jogadores também oriundos da formação leonina.

No caso de Yannick, o avançado colocou a sua assinatura no contrato em vigor até 2013 em Novembro de 2006, ou seja, pouco depois de ter sido chamado de volta aos leões após ter rodado no Casa Pia. O jogador tem sido aposta regular de José Couceiro desde que este assumiu o comando técnico da equipa e continua a ser seguido atentamente por alguns clubes, nomeadamente ingleses.

Neste sentido, o mercado poderá ditar lei neste defeso, mas caso continue em Alvalade é um dado seguro que verá os pressupostos do seu contrato revistos, nomeadamente através de uma melhoria salarial, pois ao nível da cláusula de rescisão esta já se cifra nos 30 milhões de euros, um valor bem considerável tendo em conta.

No que diz respeito a André Santos, o processo é diferente, tendo em conta que o médio chegou apenas no início desta temporada após duas de empréstimo ao Fátima e ao UD Leiria mas ganhou um estatuto para muitos inesperado, pois jogou com regularidade tanto no consulado de Paulo Sérgio como no de José Couceiro.

Izmailov espreita titularidade

Izmailov (foto ASF)

Duas semanas a ganhar condição física; pode ser opção inicial no jogo com Portimonense.

Regressou à competição no clássico com o FC Porto, jogado no Estádio do Dragão, e o objectivo de Marat Izmailov passa agora por recuperar a titularidade na equipa leonina. Apesar do longo tempo de inactividade, o médio russo já apresenta índices físicos satisfatórios, mas está ainda longe da condição física ideal.

Por isso, as duas semanas que medeiam entre o jogo com o campeão nacional e com o Portimonense serão essenciais para o russo apurar a sua condição física o que lhe permitirá aguentar a exigência competitiva durante muito mais tempo. Por isso, e também porque em condições normais Izmailov é titularíssimo na equipa leonina, o encontro com a formação algarvia pode significar o regresso do russo à titularidade.

Tiago deve renovar contrato



É o veterano do plantel - no passado dia 16 comemorou 36 anos - e tudo indica que Tiago irá renovar contrato por mais uma época.

A decisão final ainda não foi transmitida pelos actuais responsáveis leoninos a Tiago, mas é quase garantido que o guarda-redes continuará a representar o Sporting, naquela que será a sua 15.ª temporada de leão ao peito - chegou ao Sporting em 1995/96 e só interrompeu o percurso em duas épocas (de 1999 a 2001), quando foi emprestado ao Estrela da Amadora.

As razões para a mais que provável continuidade do guarda-redes são várias. Tiago é, pelo seu passado, uma das referências do actual plantel, respeitado por todos os companheiros, foi um elemento muito importante no crescimento e maturação de Rui Patrício e, não menos importante, é um jogador que tem correspondido de forma positiva sempre que foi chamado a defender a baliza leonina - fez quatro jogos, dois na Taça da Liga (Penafiel e Estoril) e outros tantos na Liga Europa (Lille e Levski de Sófia).

Wilson Eduardo com o bilhete de volta na mão



Avançado emprestado ao Beira-Mar com fortes possibilidades de integrar próximo plantel. Domingos aprecia as suas qualidades.

Wilson Eduardo, 20 anos, avançado que preferencialmente joga pelas alas e actualmente se encontra emprestado ao Beira-Mar, ao que tudo indica, voltará ao plantel do Sporting na próxima temporada, ele que ainda se mantém sob contrato com os leões até 2013.

O treinador escolhido pelos leões para a próxima temporada, Domingos Paciência, é um apreciador das qualidades do extremo, mas a inclusão no plantel, embora seja uma possibilidade fortíssima, ainda está um pouco dependente daquilo que o mercado pode proporcionar em termos de entradas e saídas.

O técnico do SC Braga gosta de jogar pelas alas e as características de Wilson Eduardo, um jogador rápido mas também agressivo na hora de arrancar para as balizas adversárias, encaixam no tipo de jogadores pretendidos pelo técnico. A inclusão de Wilson Eduardo no imediato no plantel principal visa também o crescimento e a maturação futebolística do atleta, após duas temporadas de empréstimo.

Na primeira temporada, o extremo foi cedido ao Real Massamá, clube da II Divisão com o qual os leões mantinham um protocolo de cooperação, mas nos últimos seis meses da temporada 2008/09 seguiu viagem para o Portimonense, clube no qual desempenhou papel preponderante, tendo em conta que apontou o golo decisivo para a ascensão dos algarvios à I Liga. Esta temporada, no Beira-Mar, tem estado na primeira linha de opções dos dois treinadores dos aveirenses (Leonardo Jardim e Rui Bento) e regista já 24 utilizações na Liga, tendo apontado quatro golos.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Quarteto espreita regresso



Boas notícias para José Couceiro. Pedro Mendes, Maniche, João Pereira e Grimi receberam esta terça-feira luz verde para cumprir treino de integração com a equipa, o que indicia poder estar para a breve o regresso dos quatro à competição.

De resto, o treino desta manhã, o primeiro com vista ao jogo com o Portimonense, da 28.ª jornada da Liga, permitiu perceber que o clássico com o FC Porto não deixou marcas no plantel.

Destaque, então, para a participação de Marat Izmailov nos trabalhos sem qualquer tipo de limitação, ele que regressou à competição no Dragão, após longa ausência por impedimento físico.

Duque ao lado da equipa

Luís Duque com José Couceiro (foto ASF)

Por Pedro Soares

Luís Duque surgiu esta terça-feira bem cedo na Academia, em Alcochete, para acompanhar o primeiro treino após a derrota com o FC Porto.

O vice-presidente e administrador executivo para o futebol mostra-se perto da equipa em todos os momentos, numa altura em que ainda está acesa a luta pelo terceiro lugar na Liga.

O empate (1-1) do SC Braga com o Nacional deixa o leão a dois pontos do objectivo mínimo da temporada.

ACAB

terça-feira, 12 de abril de 2011

Carriço pode jogar a trinco no clássico do Dragão

Daniel Carriço (foto ASF)

Possibilidade do capitão leonino repetir posição de Guimarães analisada esta semana. Regressa às opções após cumprir um jogo de castigo. Maniche e Mendes não recuperam.

Daniel Carriço, que cumpriu um jogo de castigo diante da Académica, volta às opções de José Couceiro para o jogo de domingo, no Estádio do Dragão, diante do FC Porto (20.15 horas). E que ninguém e admire caso o central e capitão da equipa volte a surgir alguns metros adiantado no terreno, na posição de trinco, à semelhança, de resto, do que já aconteceu em Guimarães.

Na altura, Daniel Carriço contou com o apoio de Zapater, uma vez que o titularíssimo André Santos estava castigado, mas desta vez André Santos já está disponível e os dois podem muito bem vir a formar a dupla de médios mais defensivos do leão - a opção tem sido a de fazer alinhar dois médios mais recuados nos jogos fora de Alvalade, ficando Matías Fernández com a tarefa de conduzir o jogo ofensivo. 

Esta será, pois, uma possibilidade que os leões vão estudar no decorrer desta semana e, caso José Couceiro fique convencido de que esta dupla de jovens lhe oferece total garantia, então é muito provável que o espanhol Zapater perca espaço no onze, ele que, apesar da entrega que coloca no jogo, se tem revelado um pouco lento, além de pecar, também, no capítulo da finalização: frente à Académica, muito bem colocado em duas ocasiões, acabou por rematar fraco e à figura do guarda-redes Peiser.

Com Maniche e Pedro Mendes indisponíveis para o difícil embate no Dragão, José Couceiro vai ter de jogar com as armas que tem ao dispor, razão pela qual tem de ser encarada a hipótese de Daniel Carriço pisar terrenos um pouco mais adiantados.

SAD chama Vukcevic

Vukcevic tem contrato até 2012 (foto ASF)


Novos responsáveis querem saber o que jogador pensa sobre o seu futuro no clube. Estão satisfeitos com entrega revelada nos últimos dias. Montenegrino tem contrato até 2012.

Os novos responsáveis pelo futebol do Sporting, Luís Duque e Carlos Freitas, vão reunir-se brevemente com Vukcevic no sentido de perceberem o que é que o jogador pretende para o seu futuro profissional.

A passagem do internacional montenegrino pelo Sporting tem alternado momentos muito bons com períodos muito maus e é essa instabilidade emocional do jogador que preocupa, de alguma forma, a SAD.

Vukcevic tem contrato válido até 2012, ou seja: pode ficar livre a partir de Janeiro do próximo ano para negociar e anunciar novo clube, pelo que, neste momento, estão dois cenários em cima da mesa - se bem que tudo depende dos argumentos a apresentar pelo jogador quando se sentar nos gabinetes da SAD -: a possibilidade de renovar contrato, ou o cenário do jogador ser colocado no mercado no final da época, sabendo-se que é um avançado com vários clubes interessados na sua contratação, sobretudo espanhóis e ingleses.

No fundo, os responsáveis querem evitar a possibilidade do jogador poder sair a custo zero, mas querem também ter a certeza de que Vukcevic está no Sporting de corpo e alma.

isto nao ajuda o nosso sporting em nada esta guerra pelo poder

O candidato derrotado nas últimas eleições, Bruno de Carvalho, escreveu ontem aos seus apoiantes na página do Facebook da sua lista (“Por um Sporting sem complexos”), para explicar o porquê da impugnação do acto eleitoral, reconhecendo que o mesmo tem possibilidades de ser indeferido e que lhe pode custar até futuras eleições, e aproveitou para deixar algumas críticas aos primeiros actos de gestão do vencedor Godinho Lopes.
“Se eu perder nas próximas eleições por lutar pela verdade então viverei feliz com a minha consciência pois irei ganhar ou perder de forma legítima. Enquanto uns lutam pela verdade outros vivem felizes com a hipocrisia e a mentira. Houve de facto irregularidades no cumprimento dos estatutos. Quem ganhar tem de ser por mérito e não por afinações. Já ninguém vai deixar de exigir o que está certo: alteração dos estatutos, regulamento eleitoral, supervisão da comissão nacional de eleições. Continuarei a lutar pela verdade e atento ao que os empossados estão a fazer. Cumprir as promessas eleitorais não faz parte do programa… Vamos piorar o nosso estado financeiro e continuamos sem qualquer estratégia séria para o futebol. No dia em que perder as eleições então deixarei trabalhar completamente quem ganhar”, escreveu.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

«Não vamos desistir, continuaremos a lutar» – Matías Fernández

Matías Fernandez (foto ASF)

O chileno é firme no discurso e deixa claro que os adeptos podem ficar descansados, pois a equipa lutará até ao limite pelo único objectivo que persegue nesta fase da época: o terceiro lugar na Liga. Matías admite que a equipa está em dívida para com os adeptos, pois estes, apesar dos resultados menos conseguidos, nunca viraram as costas ao grupo.

Começando pela equipa, uma vez que fala sempre da equipa. O que é que se passa com a equipa?
- [risos] Creio que houve muitos jogos que merecemos ganhar e, lamentavelmente, não conseguimos materializar a superioridade em golo e não ganhámos. Estou a lembrar-me, por exemplo, do jogo com o União de Leiria, no qual estivemos bem, mas não marcámos e... não conseguimos ganhar.

- E a falta de confiança, de que vocês tanto têm falado, explica tudo?
- A verdade é que as vitórias trazem mais confiança e nós já não ganhamos há alguns jogos. E entramos sempre para ganhar...
- Mas a verdade é que têm sofrido muitos golos nos últimos minutos dos jogos. Não será também pouca concentração?
- Lamentavelmente, isso aconteceu na Liga Europa, na Taça de Portugal e também em alguns jogos da Liga. Pouca concentração? Na verdade não sei. Sei é que temos sofrido golos nos últimos minutos, temos perdido muitos pontos e isso nota-se na classificação.

- Vocês têm pedido apoio aos adeptos e eles têm apoiado pacientemente.
- Sim, é verdade. Sei que não tem sido fácil para eles, mas para nós também tem sido muito difícil. Tivemos alguns deslizes esta temporada e resta-nos o terceiro lugar. Lamentavelmente, as coisas aconteceram assim.

- Mas têm consciência de que o terceiro lugar é muito pouco para um clube com a grandeza do Sporting?
- Sim, sim, claro que sim. Mas que fazer? Já não podemos ambicionar mais, como tal lutaremos pelo terceiro lugar. É isso que temos agora. Não era isto que queríamos no início da temporada, mas agora temos só esse objectivo.

- Se o Matías fosse adepto, continuaria a apoiar esta equipa?
- Obviamente que sim. Os adeptos têm de estar ao nosso lado quando as coisas estão bem ou quando estão mal. Precisamos sempre deles.

Semana pode trazer reforços

Alex Silva é um dos prováveis reforços (foto AP)

Luís Duque e Carlos Freitas, homens que comandam, agora, o destino do futebol profissional dos leões, continuam a trabalhar no sentido de garantir reforços para a próxima época, ainda que todas estas movimentações estejam a decorrer com tremenda discrição, no sentido de não incomodar/afectar o actual plantel, que, como é sabido, está concentrado no objectivo de conquistar o terceiro lugar da Liga.

Ainda assim, A BOLA sabe que os leões têm dado passos seguros no sentido de garantir novos jogadores, que tornem a equipa mais competitiva já a partir da próxima época. É seguro que a maior parte das promessas feitas por Godinho Lopes na campanha eleitoral vão, de facto, tornar-se realidade.

O acordo com alguns jogadores estará, nesta fase, praticamente assegurado, e neste quadro inserem-se os nomes dos defesas Alex Silva (São Paulo) e de Wendt (FC Copenhaga), assim como do avançado brasileiro Bobô (Besiktas) - no caso dos dois brasileiros, o empresário de ambos, Juan Figger, esteve a semana passada em Lisboa a negociar as transferências com os dirigentes leoninos.
 

«Não vamos ao Dragão para empatar, mas para vencer» – Couceiro

O treinador do Sporting, José Couceiro, garantiu que a sua equipa irá ao Dragão para disputar os três pontos frente ao novo campeão nacional.

- Na próxima jornada o Sporting vai ao Estádio do Dragão defrontar o FC Porto. Na sua opinião a diferença pontual espelha a diferença entre as duas equipas?
- O Sporting teve muitos problemas no arranque longo da época, que não são normais num clube da nossa dimensão. O FC Porto foi justo campeão, mas no Sporting e quem joga no Sporting sabe que tem de entrar em campo para ganhar. Com todo o respeito pelo FC Porto não vamos ao Estádio do Dragão para jogar para o empate, porque assim perdemos de certeza absoluta. Vamos, sim, para vencer. A diferença pontual é excessiva, por mérito do FC Porto, mas também por demérito nosso.

domingo, 10 de abril de 2011

Mário Patrício: “Nunca tinha visto uma arbitragem como a de hoje”

Mário Patrício deixou duras críticas à arbitragem do derby de sábado. O dirigente «leonino» diz esperar que “na final da Taça de Portugal não haja outro pagamento. No Cazaquistão não vamos ter árbitros portugueses, o que é um bom presságio.”

Mário Patrício afirmou ainda que desde que é dirigente do Sporting que “nunca tinha visto uma arbitragem como a de hoje. Na primeira parte, se não fosse a força anímica dos jogadores e a exibição de Cristiano, o resultado teria sido o que a arbitragem queria. Estou muito apreensivo com os jogos que se adivinham. Na época passada fomos campeões e se calhar estamos a pagar por isso.” O dirigente foi mais longe, dizendo: “Em termos disciplinares foi evidente a pressão que o banco do Benfica fez, bem com como a reacção pressionante dos jogadores e do staff do adversário foi inacreditável. Foi demasiado evidente que o árbitro estava ali para nos prejudicar e fez o seu trabalho.” Sobre a expulsão de Orlando Duarte, Mário Patrício realçou: “Não acredito que tenha sido mal educado, pois Orlando Duarte não é mal formado.”

SPORTING 2 ACADEMICA 0

O Sporting regressou aos triunfos na Liga portuguesa, derrotando a Académica em Alvalade por 2-0, com um bis de Yannick Djaló.
Na formação verde e branca, André Santos regressou à titularidade, sendo a única alteração em relação ao último encontro do campeonato. Na Académica, Diogo Valente entrou para o onze de Ulisses Morais, bem como Carreño, que se estreou a titular na formação dos estudantes. O Sporting, empregando muita dinâmica ofensiva desde o apito inicial de Hugo Miguel, visou por duas vezes a baliza contrária, mas os remates sairam na direcção de Peiser. Pouco depois, aos 16 minutos, os «leões» podiam ter aberto o activo, num livre de Matias Fernandez que embateu no poste da baliza da Académica, com a bola a encontrar depois Vukcevic que, adiantado, ainda empurrou a bola para as redes, mas o golo foi anulado. Em seguida, foi a vez da Académica ripostar, com Carreño a obrigar Patrício a boa estirada para canto. Isto numa fase, em que a defensiva verde e branca denotava alguma precipitação no momento em que recuperava a bola. Sobre a meia hora, nova grande chance para o Sporting em mais um livre de Matias, que culminou com grande defesa de Peiser, após desvio de cabeça de Postiga na grande área. No seguimento do canto, os «leões» marcaram mesmo, num golo de belo efeito de Yannick Djaló, e três minutos depois, o avançado acabou por tranquilizar a equipa com mais um golo pleno de classe. Ainda antes do intervalo, Patrício voltou a exibir-se em grande nível, com duas grandes intervenções, a negar o golo a Bischoff, na sequência de dois livres directos.
No segundo tempo o Sporting abrandou o ritmo e mesmo depois da entrada de Salomão (Vukcevic), a formação de José Couceiro foi errando demasiados passes, dando algumas esperanças à Académica de poder discutir o resultado. No entanto, defensivamente os «leões» estabilizaram e os estudantes poucas vezes conseguiram incomodar Rui Patrício.
Liga Zon Sagres - 26.ª jornada
2011-04-09
Estádio José Alvalade, em Lisboa
Árbitro: Hugo Miguel
Árbitros assistentes: Hernâni Fernandes e Nuno Roque
4.º árbitro: Rui Rodrigues
Ao intervalo: 2-0
Sporting - Rui Patrício; Abel, Polga, Torsiglieri, Evaldo, André Santos, Zapater, Vukcevic (Diogo Salomão, 59 m), Matias Fernandez, Yannick Djaló (Saleiro, 90 m) e Hélder Postiga (Jaime Valdes, 83 m).
Treinador: José Couceiro
Suplentes não utilizados: Tiago, Cédric, Nuno André Coelho e Cristiano.
Académica - Peiser; Pedrinho, Luiz Nunes (Diogo Melo, 62 m), Berger, Addy, Pape Sow, Bischoff, Hugo Morais (Grilo, 45 m), Sougou, Carreño e Diogo Valente (Laionel, 69 m).
Treinador: Ulisses Morais
Suplentes não utilizados: Ricardo, Miguel Fidalgo, Pedro Costa e Júnior Paraíba.
Disciplina: Cartão amarelo para Simon Vukcevic (44 m), Luiz Nunes (49 m), Zapater (52 m), André Santos (73 m) e Sougou (84 m).
Golos: Yannick Djaló (31 e 34 m).
Texto: Sandro Baguinho
Fotos: Pedro Cruz

AGENDA SPORTING

<> <>
Ténis de Mesa
Campeonato Nacional de Equipas
Pavilhão Municipal de Vagos, 10/04Domingo09:00h
Cadetes, Iniciados, Infantis
Futebol
Sporting A - Algueirão A
Estádio Universitário de Lisboa, 10/04Domingo09:30h
Campeonato Distrital de Iniciados II Divisão Infantis
Futebol
Setúbal - Sporting
Complexo Desportivo do Vitória FC (Várzea), 10/04Domingo11:00h
Campeonato Nacional Iniciados– 2.ª fase – 6.ª jornada
Futebol
Sporting - Cascais
Academia Sporting/Puma (campo n.º 5), 10/04Domingo11:00h
Campeonato Distrital I Divisão Honra Iniciados – 24.ª jornada
Futebol
Arsenal 72 - Sporting B
Parque Desportivo Casal de S. José (Mem Martins), 10/04Domingo11:00h
Campeonato Distrital de Iniciados II Divisão Infantis
Futebol
Sporting - Porto
Academia Sporting/Puma (campo n.º 1), 10/04Domingo11:00h
Campeonato Nacional Juvenis – 3.ª fase – 2.ª jornada
Andebol
Sporting - Almada
Pavilhão do Inatel, 10/04Domingo15:00h
Campeonato Nacional Juvenis A
Andebol
Benavente - Sporting
Pavilhão Barrosa (Benavente), 10/04Domingo15:00h
Campeonato Nacional Infantis
Hóquei em Patins
Sporting - HC Turquel
Pavilhão do Tojal, 10/04Domingo16:00h
Campeonato Nacional Iniciados – 9.ª jornada
Andebol
Sporting x FC Porto
Pavilhão do Casal Vistoso, 10/04Domingo17:00h

FUTSAL SPORTING vs MERDA-1-4

<> <>
O Sporting perdeu por 4-1, perante um Benfica que teve a sorte de ter tido como amigos uma dupla de arbitragem que deixou muito a desejar.  Os «leões» que entraram claramente mais fortes que o seu adversário, viram logo o seu treinador, Orlando Duarte, ser expulso do banco ao minuto 6. Deo, no minuto seguinte inaugurou o marcador, apontando um bonito golo.
O Sporting procurava alcançar um resultado favorável e contou com a inspiração de Cristiano que durante a primeira parte defendia exemplarmente todas as intenções encarnadas. Aos 10 minutos, impediu que o Benfica igualasse através de um livre de 10 metros e, depois, aos 14 minutos conseguiu evitar, por duas vezes, que o seu adversário concretizasse. A dois minutos do intervalo, Divanei esteve próximo de aumentar a vantagem, com um remate fortíssimo, mas a bola bateu no poste e não entrou. Resta dizer que nesta primeira parte, o Sporting jogou perante duas equipas fortes, uma das quais com clara dualidade de critérios que, muito habilidosamente, marcou muitas faltas inexistentes aos «leões» e fechou vezes de mais os olhos às entradas duríssimas por parte dos homens da Luz.
Na segunda parte, o Benfica chega ao golo num lance em que mais uma vez houve «dedo» do árbitro. Joel rematou para o fundo das malhas da baliza do Sporting quando Cristiano já tinha a bola nas mãos. Um lance que deveria ter sido de falta para o Benfica, mas Paraty preferiu que fosse de festa.
O segundo golo dos encarnados aconteceu, novamente, num lance em que o Sporting voltou a ser prejudicado. Deo sofreu falta no meio campo, que não foi assinalada, o que permitiu que Arnaldo se colocasse em boa posição de fazer o golo.
A perder, os «leões» tiveram sempre uma atitude de grande dignidade, lutando com todas as forças para dar a volta ao resultado. Orlando Duarte passou à estratégia de utilizar Cristiano quando o Benfica atacava e Alex, como guarda-redes avançado, quando o Sporting subia no ataque. Foi nesse período que o Benfica chegou ao seu terceiro golo, aos 38 minutos. Nesse minuto Cardinal foi expulso por ter lançado uma garrafa de água para a bancada, depois de ter sido atingido por ela e, no minuto seguinte, Joel fez o quarto.
Foi uma tarde infeliz para os «leões» que foram muito mais fortes, muito mais lutadores, estiveram muito mais perto de vencer, mas tiveram pela frente um Benfica igualmente capaz e uma equipa de arbitragem que tudo fez para impedir que o Sporting terminasse a fase regular no primeiro lugar da classificação. 

sexta-feira, 8 de abril de 2011

INVASÃO A LOURES 9-04-2011 JUVE JUVE JUVE

Treino aberto aos sócios em Alvalade

A equipa principal do Sporting vai realizar esta sexta-feira, dia 8 de Abril, pelas 16 horas, um treino aberto aos sócios no Estádio José Alvalade.
Esta medida tem como objectivo aproximar os sócios da equipa antes do jogo frente à Académica, que terá lugar no próximo sábado, pelas 20h15, no Estádio José Alvalade.
A entrada para assistir ao treino será feita pela Porta 1/TMN.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

SPORTING vs ACADEMICA

BILHETES:

SOCIO JL 5 EUR
NÃO SOCIO 10 EUR

Foi criado um grupo que irá definir o prazo e o âmbito da auditoria"

O presidente Luís Godinho Lopes, reuniu, no final da tarde de quarta-feira, 6 de Abril, com Dias Ferreira, Pedro Baltasar e Sérgio Abrantes Mendes – acompanhados, cada um, com um especialista em auditoria – anunciando, no final, que "foi criado um grupo, com um representante de cada um dos presentes nesta reunião, que irá definir um prazo e o âmbito da auditoria e, depois, criar um concurso para a definição da empresa que irá realizar a auditoria, que será supervisionada por este grupo de quatro pessoas. Existe um "Livro Branco" escrito, que corresponde até 1995 e apresentado em 2000, que será analisado igualmente por este grupo e, posteriormente, a decisão será tomada em conjunto. Definido o âmbito e o prazo da auditoria, seguir-se-á a escolha das empresas para concurso e depois avançar, esperando todos que este processo se realize no mais curto espaço de tempo possível."

Leões estão na final da Taça de Portugal

O Sporting chegou ao Pavilhão dos Leões de Porto Salvo com uma vantagem de 6-2, conseguida na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal, mas cedo sofreu um golo, aos 3 minutos, apontado por Xavier.

Orlando Duarte fez entrar de início Cristiano, João Matos, Pedro Cary, Deo e Cardinal, mas o adversário entrou determinado em surpreender e acabou por voltar a fazê-lo, aos 16 minutos, novamente por Xavier. A vantagem de 2-0 durou até cinco minutos da segunda parte, momento em que Leitão reduziu a diferença.
Aos 30 minutos, os anfitriões quase aumentaram a vantagem. Valeu Cristiano que defendeu, de forma exemplar, um livre de 10 metros. O Sporting mantinha-se forte na luta por um melhor resultado e, aos 36 minutos, Deo igualou (2-2). Volvidos 2 minutos, Diogo voltou a colocar os Leões de Porto Salvo em vantagem, mas o resultado de 3-2 não foi suficiente para impedir que o Sporting garantisse um lugar na final da Taça de Portugal.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

SPOOOORTING...

                     

Leões de Porto Salvo - Sporting

Pavilhão do CRL Porto Salvo, 06/04Quarta21:00h
Taça de Portugal – 2.ª mão das meias finais


VAMOS EM PESO APOIAR A NOSSA EQUIPA

COMUNICADO OFICIAL DO CARDINAL

Face às notícias da comunicação social sobre a presença do atleta do futsal do Sporting, Fernando Cardinal, no jogo de futebol do passado domingo, SL Benfica-FCPorto, este solicitou-nos um pedido de esclarecimento, que passamos a divulgar: “Nunca escondi que sou adepto do FC Porto, como os sportinguistas bem o sabem, não é por esse facto que deixarei de ser um bom profissional. Ao ficar exposto em demasia no jogo do passado domingo, reconheço que não tive a melhor conduta, mas nunca foi meu interesse prejudicar o Sporting, ou os meus colegas de equipa, pois tenho muito orgulho de pertencer a uma equipa de campeões.
Sei da importância dos jogos que temos esta semana e apelo aos sportinguistas para que nos continuem a apoiar, que, como sabem, darei tudo por este Clube e por esta camisola.”

Já tenho acordo com o Sporting» - Zahavi

Médio israelita revela a A BOLA que só falta consenso entre clubes. «Quero fazer mais golos em Lisboa», disse. Sai por 1 milhão de euros.

O Sporting está em vias de garantir o primeiro reforço para atacar a época 2011/12. Eran Zahavi, médio ofensivo israelita de 23 anos - marcou dois golos ao Benfica ao serviço do Hapoel Telavive já no decurso desta época, em jogo da fase de grupos da Liga dos Campeões -, revelou a A BOLA, a partir de Israel, que já tem um entendimento para ser jogador do Sporting, restando, apenas, os dois clubes chegarem a acordo.

«Ainda é preciso que falem com o Hapoel e o clube não me transmitiu nada, mas o Sporting já falou com o meu empresário. Acordo? Sim, já chegámos a acordo. Quero muito ir para Lisboa!», disse ao nosso jornal o jogador israelita, muito contente com a possibilidade cada vez mais real de vir para Lisboa.

«Estou muito feliz com esta possibilidade e seria maravilhoso jogar no Sporting», confessou, ansioso para que leões e Hapoel cheguem a acordo: «Por 1 milhão de euros posso sair e espero que o Sporting pague.»

terça-feira, 5 de abril de 2011

Aos 84 anos, Artur Agostinho aceitou dirigir o "Jornal do Sporting".

Acredita que o trabalho ajuda a viver. Mantém a alegria e o entusiasmo de um principiante, apesar de andar "nisto" há 66 anos. Este é, porventura, um dos segredos de uma carreira tão duradoura. Aos 84 anos, Artur Agostinho adora "ter as células do cérebro em plena actividade": acabou de escrever um policial, que deverá ser lançado na Primavera; participou, como actor, numa série televisiva inspirada no romance Quando os Lobos Uivam, de Aquilino Ribeiro, que se estreará muito em breve no pequeno ecrã; e nos últimos dias de 2005 aceitou dirigir o "Jornal do Sporting", um dos títulos mais antigos do género a nível europeu. Tem consciência de que esta não será uma tarefa fácil, porque a publicação dá prejuízo e se vivem tempos de austeridade para as bandas de Alvalade. Mas não virou a cara ao desafio e ei-lo disposto a trocar as voltas a quem entende que o jornal dos leões tem os dias contados.
"Voltar a dirigir um jornal não estava nos meus horizontes. Já não tenho idade para grandes sacrifícios", confessa-nos. Para quem não saiba, este senhor da rádio e da televisão também se distinguiu na imprensa desportiva: foi director do "Record" durante cerca de 11 anos. "Já tinha saudades", diz, adiantando que "acompanhava a feitura do jornal desde a chegada do texto à tipografia: era ali que fazia os títulos. Gostava de sentir o cheiro das tintas, de assistir à saída do jornal da rotativa. Também ia com regularidade à casa da venda, às seis da manhã, para ver os vendedores trocarem as sobras do número anterior pelos exemplares 'fresquinhos'". As novas tecnologias permitiram grandes avanços no processo de paginação dos jornais: "Agora tudo é feito na redacção", frisa. Não sendo um especialista em informática, fez um esforço para se adaptar aos novos tempos. O computador é uma das suas companhias de eleição.
Jorge Simão
Crê seriamente na recuperação do semanário leonino - "não aceitei este lugar para ser o coveiro do 'Jornal do Sporting'" - embora admita que "a direcção do clube está a estudar todos os cenários" (encerramento da publicação incluído). Em seu entender, a reabilitação do jornal passa pela "criação de conteúdos de interesse sportinguista - que agradem aos antigos sócios, mas que também fidelizem os jovens que estão a chegar ao clube e as mulheres". Artur Agostinho defende a realização de uma grande prospecção junto dos adeptos para conhecer os seus interesses. "É um trabalho demorado, mas que dá frutos", nota. Aposta igualmente num "noticiário desenvolvido das manifestações desportivas em que participam atletas do Sporting (nomeadamente as modalidades menos mediáticas), que pode atrair a atenção dos familiares dos praticantes". Procurará ainda a colaboração pontual de figuras de prestígio da "família sportinguista". "Defendendo intransigentemente os interesses do clube e a verdade desportiva em relação ao Sporting, quero que este combate seja travado em termos éticos. Não podemos esquecer que o desporto é uma competição, não é uma guerra", faz questão de referir. Como tal, propõe-se estabelecer um bom relacionamento com os outros órgãos de comunicação social: "A diversidade de opiniões é saudável, desde que seja assumida civilizadamente e não seja baseada em questões pessoais". Está convencido que uma grande campanha de angariação de assinantes junto dos núcleos do Sporting - em Portugal e nas comunidades de emigração - poderá "minorar a situação deficitária" do jornal.
O nosso decano da comunicação estreou-se na rádio, mas fez de tudo um pouco e de tudo gostou igualmente: jornalismo, cinema, televisão, publicidade, teatro. Nas ondas do éter destacou-se como locutor e relator desportivo, primeiro no Rádio Clube Português, depois na Emissora Nacional, onde ganhou enorme popularidade. Em 1947 fazia a sua primeira incursão no cinema nacional em Capas Negras, contracenando com Amália Rodrigues. Em O Leão da Estrela trabalhou lado a lado com António Silva e Milú, entre outras estrelas de primeira grandeza do nosso panorama artístico. Participou ainda em Sonhar é Fácil, Encontro com a Vida, Dois Dias no Paraíso e O Tarzan do 5º Esquerdo. A experiência no cinema encaminhou-o para o teatro radiofónico e catapultá-lo-ia para a televisão. Em 1957, ano em que arrancou a RTP, Artur Agostinho foi o escolhido para apresentar o primeiro concurso televisivo, Quem Sabe, Sabe. Seguiram-se muitos outros. "Quando me apercebia que um concorrente precisava de dinheiro, tentava ajudá-lo o mais possível, sem que isso se tornasse objecto de crítica por parte dos outros", conta. Fundaria ainda uma empresa de publicidade, "actividade de que gostava imenso, porque fazia apelo à criatividade". Geriu a carreira com pinças. "Quando sentia que a actividade na rádio estava a ser saturante, dedicava-me mais à televisão. Depois aliviava o trabalho televisivo virando-me para a publicidade. O facto de não ser funcionário de nenhuma destas empresas permitia-me algum espaço de manobra", afirma.

A família da bola


Os momentos mais emocionantes que viveu enquanto relator desportivo aconteceram nos anos 60. "Começaram com a vitória do Benfica na Taça dos Campeões Europeus, seguida da vitória do Sporting na Taça das Taças, culminando com o Campeonato do Mundo em Inglaterra, em 1966 (em que Portugal ficou em terceiro lugar). Foram anos de ouro do futebol português", comenta. Eram tempos em que havia grande proximidade entre jornalistas e jogadores: "Ficávamos no mesmo hotel, viajávamos no mesmo autocarro para os estádios, íamos às cabinas saber a constituição das equipas, almoçávamos na mesma sala. Éramos quase uma família", recorda com alguma nostalgia. Esta cumplicidade trouxe-lhe amigos para a vida: Hilário e José Carlos, do Sporting, José Augusto e Simões, do Benfica, entre muitos mais.
Pagaria alto o preço da popularidade. Após o 25 de Abril de 1974, suspeitou-se que teria ligações ao regime deposto, tendo sido preso em Caxias durante três meses "sem culpa formada", frisa. Posto em liberdade em Dezembro de 74, esperou até Agosto do ano seguinte que o chamassem para trabalhar, "mas as pessoas tinham medo de se aproximar de mim. Senti uma mágoa profunda com aquela injustiça". Saiu do país convencido de que não voltaria. Depois de uma estada breve em Paris, rumaria ao Brasil, onde permaneceu seis anos. Foi relações públicas de uma instituição bancária, trabalhou na Rádio Globo do Rio de Janeiro, fundou um título, o "Mundo Esportivo Português". Em Caxias escrevera Até na Prisão Fui Roubado, do outro lado do Atlântico fazia outro opúsculo "ainda a quente", Português sem Portugal. Algures entre o diário e a reportagem, os dois livros depressa esgotaram. "Sou seguidor do lema de Churchill: é sobre as derrotas que se constroem as grandes vitórias. Foi na adversidade que encontrei forças que desconhecia ter dentro de mim", refere.
Regressaria em 1981, disposto a pôr uma pedra sobre o assunto. É convidado a dirigir a informação desportiva da Rádio Renascença, Maria Elisa e Proença de Carvalho desafiam-no a voltar a apresentar concursos na RTP. Refaz os circuitos que anteriormente dominara. Mais tarde, regressará também às séries televisivas pela mão de Filipe La Féria, na Casa da Saudade. Participa na novela Ganância, volta ao seriado em Ana e os Sete, com Alexandra Lencastre e Virgílio Castelo. Em matéria de representação, diz gostar de papéis "que me obriguem a vestir a pele de um personagem que não seja eu". Fã incondicional de ficção, estreia-se como autor em 2003 com Os Abutres. Um ano antes lançara os Ficheiros Indiscretos, "espécie de memórias, mas não lhes chamei assim para não parecer pretensioso". No campo da ficção, "é interessantíssimo constatar que os personagens vão ganhando vida até que se impõem, discutem connosco o seu destino. É uma experiência aliciante". Terminou em Dezembro uma incursão no género policial: "Só falta decidir o título. Sairá lá para Março", adianta.

Parar é morrer


Casado há 53 anos com Maria Teresa, admite que a carreira multifacetada lhe retirou tempo para a família: "Procurei sempre suprir a falta dos momentos que não dei com a força dos momentos que dei", conclui, em jeito de balanço. Não perde um encontro de amigos, seja o grupo Stromp (de que foi presidente durante dois anos), a Velha Guarda (grupo de tertúlia que almoça quinzenalmente na Adega Machado, em Lisboa, e integra perto de uma centena de elementos de vários credos políticos e diferentes filiações clubísticas), ou os "maluquinhos da bola" que se reúnem a meio de semana para discutir a prestação da equipa de Alvalade.
Ciente de que parar é morrer, tem-se mantido activo a tempo parcial. O "Jornal do Sporting" obriga-o agora a um esforço adicional: nada que o preocupe. Artur Agostinho está em grande forma. Até promete dar uma "mãozinha" se o clube de Alvalade seguir as pisadas do Benfica e avançar com um canal de televisão por cabo...

Carlos Freitas: «Equipa tem problemas psicológicos»

O diretor para o futebol do Sporting, Carlos Freitas, considerou este domingo que "é inequívoco que a equipa tem problemas a nível psicológico", comentando o empate com o Vitória, em Guimarães, consentido já no período de descontos.

"O futuro do Sporting é o jogo com a Académica, não dá para fazer projeções. O futuro é jogo a jogo, até à 30.ª jornada. Mas é inequívoco que esta equipa tem problemas a nível psicológico", afirmou no final da partida.

O golo do empate do Vitória de Guimarães aconteceu aos 90+3 minutos, o que, para Carlos Freiras, nem é totalmente surpreendente: "Apesar do sabor amargo, o ponto acaba por não nos surpreender. Os golos no fim são um quadro que se têm repetido, não há que o escamotear, é uma sucessão de factos que deixa marcas. Sofrer tantos golos assim não é fruto só de um problema", disse.

O Sporting foi ultrapassado pelo Sporting de Braga na terceira posição, mas para o novo responsável pelo futebol sportinguista "o futuro será com mais atitude, empenho e eficácia".

"Temos de ser incisivos. O futuro está à mão, temos de dar a cara nos bons e nos maus momentos, a liderança também é isso. Só o facto de envergar a camisola do Sporting acarreta pressão. Os jogadores têm de ter dimensão psicológica para o aguentar", avisou.

Freitas não quis ainda comentar as declarações do presidente do Sporting de Braga, António Salvador, que garantiu sábado que Luís Duque e Carlos Freitas lhe asseguram que não contactaram Domingos Paciência.

Já para o presidente, Godinho Lopes, "o Sporting teve uma boa atitude na primeira parte, mas é certo que o segundo tempo não foi tão bom".

"De qualquer maneira, este ponto mantém incólumes as nossas esperanças de chegar ao terceiro lugar. Temos agora um jogo em casa com a Académica, vamos recuperar a equipa e consolidá-la, porque acreditamos que vamos chegar ao terceiro lugar", disse

Lino de Castro: «Providência cautelar não tem fundamento»

O responsável máximo pelo último ato eleitoral sportinguista refuta todas as acusações de Bruno de Carvalho e reitera a transparência das eleições.
RECORD – Como interpreta as acusações de que foi alvo por parte de Bruno de Carvalho relativamente ao que aconteceu no dia das eleições?
LINO DE CASTRO – Nenhuma das acusações de que fui alvo corresponde à verdade, pois não menti em nenhuma circunstância. O facto de alguém da lista de Bruno de Carvalho ter levantado uma hipótese meramente académica [relativamente a uma possível recontagem dos votos] não faz com que, em algum momento, tenham requerido fosse o que fosse. Disse sempre que qualquer solução teria de me ser previamente solicitada e, oportunamente, a mesa da AG responderia em conformidade com os estatutos do clube. Para lá de Rui Morgado [delegado da lista de Bruno de Carvalho], estavam presentes mais 13 pessoas, que podem confirmar aquilo que estou a dizer.

Sporting C. P. vs A. A. Coimbra sabado 9 de Abril 20 15

 

VAMOS TODOS APOIAR A NOSA EQUIPA

Boas vindas